domingo, 19 de setembro de 2010



VIAGENS II
Acho que fui picado pelo inseto viajador, pois estou viajando bem mais do que o previsto para esse meu ano sabático. O que é ótimo, pois, como já falei aqui no blog, adoro fazer uma mala. E foi assim que eu, recém chegado de Ilhabela, já vim parar, dois dias depois, no Rio de Janeiro, cidade maravilhosa que não visitava desde a Páscoa desse ano. Dessa vez eu vim, digamos, a negócios. É que faz tempo que minha frenética amiga Lidoka me falava de um texto de Wagner Ribeiro, dos Dzi Croquettes, o qual eu estava curiosíssimo pra ler. E passamos juntos uma deliciosa tarde de chuvinha fina lendo juntos no sofá. Eu, que costumo vir ao Rio para curtir praia, sol e verão, tive uma outra perspectiva da cidade... Agora estou bebendo vinho de frente pro mar de Ipanema na filial carioca do bar paulista Astor, que fica no local onde funcionava o Barril 1800, na esquina da Vieira Souto com a Rainha Elizabeth. É bonito. Mas é caro...É engraçado como brasileiro gosta de pagar caro para se sentir rico. Aliás, acho que as UPPs, Unidades de Polícia Pacificadora do Rio de Janeiro, deveriam retirar os ladrões dos bares e restaurantes, assim como estão fazendo com os traficantes nas favelas, porque cobrar trinta e três reais por uma Baby Chandon e dezessete reais por um quarto de vinho no fundo de uma taça eu considero um assalto! Mas, voltando à parte boa, que é rever minhas amigas Shala Felipe, que me hospeda em sua casa, e Lidoka, hoje tive também o prazer de rever Dona Lídia, mãe da Lidoka que, aos oitenta e nove anos tá super sacudida, fazendo o cabelo animadíssima para irmos ao teatro assistir a Tango, Bolero e Cháchá-chá, com Edwin Luisi, de quem ela é fã... E o tour etílico gastronômico segue. Agora estou no Felice, um restaurante, bar e sorveteria que costumo frequentar aqui no Rio. Adoro o Felice. As hostess, gerentes e garçonetes sempre me recebem com muita simpatia, algumas já foram assistir à Terça Insana quando estávamos em cartaz aqui no Rio, e eu, realmente, me sinto em casa. É como se fosse o meu Ritz carioca. A comida é deliciosa e eles fazem um frozen de sorvete batido com vodka delicioso. Deliciosamente embriagante...Uma vez eu estava com amigos na varanda do Felice quando, de repente, começou a sair muita fumaça lá de dentro e descobrimos que era um incêndio na cozinha! Vieram os bombeiros, o restaurante foi evacuado, um horror. Mas teve um lado bom: Não precisamos pagar a conta!
Depois do Felice ainda fui, resolvido de última hora, assistir ao show Etc, de Rita Lee, no Vivo Rio. Adorei. Rita está linda, viva e cheia de graça, fazendo um monte de gente feliz!
Na foto, a Princesa Isabel toda molhadinha da chuva que cai no Rio.

Um comentário:

  1. Boa viagem! Adoro ler relatos de viagem - eu me transporto junto.
    Abraço,
    Muque de Peão

    ResponderExcluir